terça-feira, 17 de novembro de 2009

Os Xerifes do Reino de Deus


Ir dormir mais cedo e sem sono, para quem não está muito a fim de pensar é um tanto complicado. Às vezes, você pensa em tantas besteiras, outras, se prende à algo realmente relevante e importante.

Esse momento pode ser um tempo produtivo e cansativo, ou cansativo e improdutivo.

Numa certa noite, fui dormir mais cedo, dei uma lida em certo capítulo da Bíblia, fiz uma boa oração, apaguei a luz e me deitei. E lá estava eu à mercê de pensamentos. Nesta noite, várias coisas passaram pela minha mente, algumas me incomodaram, outras foram realmente importantes. Naquele momento eu estava aberto para entender certas coisas. Foi quando, no meio de uma tempestade de ideias me veio um texto bíblico, o que fala sobre os fundamentos, e pensando sobre o assunto entendi que os humildes edificam suas casas sobre a rocha, e os que edificam suas casas sobre a areia são religiosos, e o restante não edifica nada. Sim! Vamos primeiro entender, ou tentar entender o religioso. Você leitor, alguma vez já viu algo errado em certo irmão em Cristo, e tentou conversar, de forma que tivesse que mostrar seu erro? No caso do religioso, ele sempre tenta se safar, ou arruma uma boa desculpa para tal ato, ou ainda em caso de insistência ele só não solta um palavrão direcionado a você porque a religiosidade não o permitiria tal ato. Mas o humilde, sempre ouve, por mais que você seja áspero, bruto, e etc. Esse aprende aceita ser corrigido, tem um coração ensinável, não vê ninguém maior ou menor que ele, não aceita repreensão somente do pastor, ou líder. Esse cresce e é firmado em Cristo que é a rocha sobre a qual toda casa deve ser edificada. Já, o religioso, tem sua casa edificada sobre a areia, vive a mercê de tempestades, o que a qualquer momento pode ir ele e a casa por água a baixo. E quando repreendemos tal pessoa com tal postura, é como se estivemos chamando para brigar, afinal, ele tem 30 anos, e eu ou você apenas 5 ou 10.

Ele fecha seus olhos para não ver seu próprio erro, porque se não, teria que abandonar tudo o que havia construído até aquele momento, para começar construir algo verdadeiro e eterno, mas se ele fizer isso, estaria se igualando a aquele que nunca construiu nada na vida, e isso para um religioso, seria o fim.

Imagina uma pessoa com 30 anos dentro de uma igreja, se igualando a aquele que nunca pisou em nenhum, ou nunca participou de uma reunião. É algo inconcebível para tal pessoa.

São eles considerados os "xerifes" do Reino de Deus, os que apontam o pecado, e que nunca, jamais, pecam. Tais pessoas, jamais aceitam mudanças dentro da congregação em que estão inseridas.

E existem religiosos tanto tradicionais como renovados, pentecostais, neo-pentecostais. O fato é que este jamais aceita o crescimento foi proposto por Deus para igreja de Cristo, e o atrasa.

nEle que somos!

R.Boy

Um comentário:

Gito disse...

O povo canta, inclusive eu: A começar em mim, quebra corações.
Tá na hora de cantar, inclusive eu: A começar em mim, quebra tradições!
Nossos corações estão nas tradições, dos dogmas, nos manuais da Idade Média. Quebrando as tradições e os corações, precisamos de NOVA VIDA, nascer de novo. Quem é o homem que tem seu coração quebrado e vive com ele ainda assim?
Excelente reflexão, Boy!